Educação e entretenimento: conheça dois exemplos de sucesso no audiovisual cachoeirinhense

Com o aumento do número de acesso a aparelhos tecnológicos, o audiovisual em Cachoeirinha é um campo que vem crescendo e inventando formas de interagir com a cidade.  Seja por motivos pedagógicos ou por motivos de realização pessoal, o audiovisual é cada vez mais acessível.

O professor municipal, Ramiro Reis incentiva seus alunos a produzirem filmes sobre conteúdos da aula na escola Dagmar Mucillo, no bairro Parque da Matriz. Após a tragédia na escola em Realengo RJ em 2011, Ramiro teve a ideia de trabalhar conteúdos pedagógicos através do audiovisual.  Neste primeiro trabalho o assunto abordado foi o bullying em ambiente escolar. “Naquele ano as 8ª séries [hoje  9º ano] tiveram que fazer um curta metragem sobre o assunto” afirma o professor.

Vinicius Macedo e Victor Souza estudavam juntos quando descobriram uma afinidade em comum: os dois eram apaixonados pelo mundo audiovisual. De lá pra cá, eles já têm um curta metragem, uma série de videoclipes de bandas iniciantes e o Vinicius é dono da produtora Proteu Filmes. Juntos fizeram o curta-metragem a história de Rodolfo (2017). O curta foi roteirizado, produzido, dirigido e editado pela dupla e demorou quatro anos para ser gravado. Mas, segundo  eles, a demora foi válida. “As técnicas e os equipamentos foram evoluindo com o tempo e nós refizemos o curta quatro vezes antes de finalizá-lo” afirma Victor.

Vantagens, desafios  e aprendizados

Entre os desafios de se trabalhar com audiovisual os criadores da Proteu Filmes destacam que há dificuldades tanto na área cinematográfica quanto na área de produção de videoclipes.  “As dificuldades existem para produzir, para distribuir e para exibir” explica Victor.

Já Ramiro destaca que um dos motivos de ter aderido a essa nova forma de disseminação do conhecimento foi o acesso à tecnologia. Os vídeos são amadores e tem intuito totalmente pedagógico. Segundo uma pesquisa realizada pelo IBGE sobre as  Características Gerais dos Domicílios e dos Moradores em 2017, hoje as pessoas preferem acessar a internet pelo telefone móvel mesmo estando em casa. Dessa forma, é coerente a escolha de Ramiro em planejar a gravação de curtas-metragem pelo celular. “O último trabalho [realizado pelos alunos] foi a regravação do filme francês sobre a pré história chamado A guerra do fogo (1981) utilizando efeitos especiais como fogo virtual. Hoje  eu recebo esses trabalhos pelo whatsapp” declara o educador.

Muito mais do que identificar talentos, a produção de filmes oportuniza experiências e autoavaliações. Ramiro conduziu a produção do curta chamado coisa de menina (2016) que questiona o costume de meninas fazerem coisas diferentes dos meninos na hora da educação física. Tão importante quanto criar essas produções é fazer o aluno se dar conta da problemática. Ao criar um filme sobre machismo é necessário, posteriormente, realizar atividades para fazer o aluno notar o machismo em situações cotidianas.

Além disso, a autoestima é outro fator que se beneficia da produção audiovisual. Alunos tímidos se envolvem de tal maneira nas atividades propostas que  conseguem vencer a timidez e atuar. Segundo Ramiro, a escola possui o que existe de mais valioso. “A escola tem o recurso humano. Se eles [os alunos] quiserem fazer um filmes sobre uma guerra eles têm dois exércitos” diz Ramiro.

Por que investir no audiovisual

A paixão pelo que fazem é o combustível para o progresso profissional. “Meu pai sempre disse pra eu fazer o que eu gosto. Seria fácil pra mim ficar na sombra dele, eu viveria melhor do que vivo hoje. Mas eu não gosto de fazer outra coisa” alega  Vinicius. Para Victor, a melhor maneira de explorar o mundo do audiovisual é fazendo. “Faz do jeito que for possível. Se tu acabares fazendo uma coisa boa e coerente dentro das condições que tu tinhas serás notado” afirma o jovem.

Tanto na história do Victor e do Vinicius quanto na história do professor Ramiro, a internet é uma aliada importante. A divulgação dos trabalhos e a interação com o público são realizadas em sua maioria através das redes sociais. Além disso, toda forma de qualificação e descoberta está a disposição em sites e vídeos online.

É possível ver todos os trabalhos audiovisuais realizados na escola Dagmar Mucillo na página  Cine Dagmar no facebook e no canal no youtube com o mesmo nome. Para conhecer a Proteu Filmes acesse o canal da produtora no youtube ou acesse a página no facebook.